4.6 C
Felgueiras
Sexta-feira, Fevereiro 3, 2023

Pub

Quinta de Maderne
InícioGente Nossa“Desde pequenina que gosto de criar coisas, desenhar e fotografar”

“Desde pequenina que gosto de criar coisas, desenhar e fotografar”

Cátia Azevedo tem 22 anos e é uma apaixonada pelo design e fotografia. Terminou a Licenciatura de Comunicação e Multimédia pela UTAD no ano passado e trabalha atualmente na área. Vê nos seus avós o maior exemplo para a sua vida e espera que um dia se lembrem dela pela sua maneira de ser e por ter sempre lutado pelos seus sonhos.

1- Como foi a tua primeira experiência profissional?
Eu comecei a trabalhar há relativamente pouco tempo, portanto, considero que ainda estou na minha primeira experiência profissional. Mas tem sido uma experiência enriquecedora, tanto a nível profissional como pessoal, onde tenho a oportunidade de colocar em prática todos os meus conhecimentos e aprender cada vez mais a cada dia que passa.

2- Se pudesses voltar atrás, escolherias a mesma profissão?
Sim, com certeza. Inicialmente, não era esta a área que eu queria estudar. Eu queria ser jornalista, mas felizmente não consegui entrar para o curso de Ciências da Comunicação. Entrei na minha segunda opção, Comunicação e Multimédia, a pensar que seria parecido (não é), foi então que tive uma surpresa muito positiva e acabei por encontrar a minha vocação. Sinceramente, acho que foi o destino, pois desde pequenina que gosto de criar coisas, de desenhar, fotografar.

3- Quais as três palavras que melhor descrevem a tua vida?
Dedicação, humildade, simpatia.

4- Qual a pessoa que mais te influenciou até hoje?
Os meus pais e o meu namorado. São as três pessoas que sempre acreditaram em mim, no meu potencial, que me apoiam em qualquer circunstância da minha vida. São os melhores conselheiros e confidentes. Sou grata por os ter ao meu lado.

5- Qual foi o momento mais gratificante que tiveste na vida?
A nível profissional diria que foi receber um convite, antes de acabar a licenciatura, para trabalhar como freelancer para uma organização internacional, situada na Áustria, para a qual ainda continuo a trabalhar.
A nível pessoal acho que tenho vários momentos que considero os mais gratificantes da minha vida, como ter um grupo de amigos incrível, um afilhado amoroso, uma família presente e unida e uma vida estável.

6- Qual o momento mais difícil?
A perda de um familiar, o meu tio, que partiu demasiado cedo e de forma inesperada. Tal como eu, gostava muito de arte, acho que herdei essa faceta dele.

7- Quais os teus pontos fortes?
Determinação, dedicação, humildade.

8- Quais os traços de personalidade que os outros identificam facilmente em ti?
Generosidade, honestidade, determinação.

9- O que mais te dá energia e ânimo?
Apreciar um bom pôr-do-sol com uma boa companhia e estar com os meus amigos.

10- Qual o teu lema de vida?
Vive a vida que um dia queres recordar.

11- Quais as maiores lições que aprendeste?
Que com esforço e dedicação tudo fica mais fácil de alcançar, não podemos esperar que o sucesso nos venha bater à porta.

12- O que mais valorizas nas pessoas?
Empatia, honestidade e educação.

13- Quem te inspira e porquê?
Os meus avós, tanto paternos como maternos, porque sempre se esforçaram e lutaram para terem o que têm hoje e para conseguir dar sempre o melhor aos seus. Para mim são um exemplo.

14- O que menos gostas na sociedade?
A falta de empatia, de gratidão e a necessidade de rebaixar o próximo para se sentirem superiores.

15- Se pudesses começar tudo de novo, o que farias de diferente?
Honestamente, não mudaria nada. Não me arrependo da licenciatura que tirei, aliás sinto que aos poucos estou a conseguir alcançar todos os meus objetivos. Quanto aos momentos menos bons que aconteceram ao longo da minha vida, levo-os como forma de aprendizagem, pois são eles que me fazem crescer, tanto a nível profissional como pessoal, tornando-me numa pessoa melhor.

16- Com que personalidade gostavas de jantar?
Talvez com a Daniela Melchior ou a Sara Sampaio. São duas mulheres talentosas que levaram o nome do nosso país a um nível mundial e são ainda a prova de que quando fazemos algo com gosto e com esforço conseguimos alcançar patamares que achávamos que não era possível.

17- Como gostarias que as pessoas se lembrassem de ti?
Gostava que se lembrassem de mim pela minha maneira de ser. Por ser uma pessoa gentil, simpática, com sentido de humor, aventureira, amiga, mas acima de tudo, que sempre lutou pelos seus sonhos.

Elsa Ferreira

Pub

Teco

Mais Populares

Subscreva a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Pub

Paulo Alves Terapias

Últimas