PUB
Inicio Business / Empresas "Aumentamos para o dobro a produção de camas hospitalares"

“Aumentamos para o dobro a produção de camas hospitalares”

Entrevista em abril de 2020

A IMO duplicou a produção de camas hospitalares devido à pandemia de Covid-19. Esta empresa felgueirense, fundada há 74 anos, viu as encomendas destes equipamentos aumentar. Os clientes são de vários países do mundo. O SF conversou com André Sousa, um dos responsáveis, situada na Vila da Longra, cuja atividade está vocacionada para a produção de móveis hospitalares.

A pandemia de Covid-19 levou a uma maior procura de camas hospitalares?
Sim, duplicamos a produção de camas hospitalares. Desde o final de março até agora, estamos a produzir 35 camas e 10 macas por dia. A previsão é que esta tendência se mantenha também no mês de maio.

De onde são os clientes?
São de todo o mundo. Exportamos cerca de 70% da nossa produção. Temos clientes na Europa em geral, especialmente de Inglaterra, Espanha e Polónia, mas também de Marrocos, outros países do norte de África, e do Médio Oriente.

E de Portugal?
Também. Houve um aumento de encomendas nacionais, mas não tanto
como esperávamos. Talvez porque a situação da pandemia não atingiu valores exponenciais como noutros países.

Depreende-se que as encomendas devem ser urgentes?
Sim, são. As encomendas são muito urgentes. A situação da pandemia
levou a que isso acontecesse. A urgência dos equipamentos que nos pedem é grande e tivemos de dar resposta. Como percebemos, é nesta altura que as camas estão a ser necessárias nos hospitais.

A IMO está a ter alguma dificuldade na produção?
Como é normal há algumas dificuldades porque duplicamos a produção,
mas apesar disso estamos a dar resposta às encomendas. Componentes
como o aço e plásticos são mais fáceis de encontrar nos fornecedores.
Há dificuldades maiores no que concerne aos motores e rodas que são produzidos na Alemanha e Dinamarca. Daqui a uma semana, estes componentes podem faltar. Não nos dão previsão de entrega.

Isso deve-se ao aumento da procura destes componentes a nível mundial?
Sim, é um facto. Há três ou quatro grandes ‘Players’ a nível mundial que açambarcam a produção destas peças de camas hospitalares. A nossa dimensão é pequena em relação
a estes grandes fabricantes.

De que países são?
São empresas americanas, do Canadá e da República Checa, embora com capitais alemães. Estamos a falar de negócios de biliões de dólares, uma dimensão
que, como é óbvio, não temos.

A IMO produz há muitos anos mobiliário hospitalar. Como foram os tempos
mais recentes antes da pandemia?

As duas últimas décadas não foram as melhores para o nosso ramo de
atividade. Houve um grande desinvestimento no mobiliário hospitalar
por parte do Serviço Nacional de Saúde. Isso notou-se especialmente nos últimos 10 anos.

Isto significa que os hospitais portugueses não estão bem equipados a
este nível?

Em termos gerais, posso dizer que os hospitais têm mobiliário obsoleto e
cheio de problemas. Disso não há dúvidas. Nos últimos anos, registamos um decréscimo considerável de vendas destes equipamentos em Portugal.

Que perspetiva para o futuro imediato após a pandemia?
Penso que o futuro não será bom para ninguém. Quanto a nós, este é um ciclo e os ciclos superaram-se e passam. Vamos ver, como será.

PUB
PUB
PUB
PUB

Mais Populares

Atleta terá demonstrado que não estava em condições de continuar o Trail

Já começam a surgir alguns relatos sobre os últimos momentos, em que Marílio Costa Leite, foi visto. Segundo o...

“Os cidadãos não precisam de qualquer declaração para saírem do concelho”

Na sequência das medidas especiais decretadas para Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, há várias questões que os cidadãos têm colocado.

Subscreva a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Últimas

Militantes da Concelhia de Felgueiras dão vitória a Rui Rio

Rui Rio obteve 133 votos na eleição para líder do PSD na Concelhia de Felgueiras. Em Paulo Rangel votaram...

Spinning Marketplace, um evento desportivo e solidário para ajudar a Cercifel

O Spinning Marketplace vai decorrer no próximo dia 18 de dezembro, no Mercado Municipal de Felgueiras. Trata-se de um...