PUB
Inicio Política Confinamento compulsivo e encerramento de estabelecimentos previstos

Confinamento compulsivo e encerramento de estabelecimentos previstos

O projeto de decreto de renovação do Estado de Emergência, do Presidente da República, limita o exercício da iniciativa privada, social e cooperativa, estabelecendo que “pode ser determinado pelas autoridades públicas competentes o encerramento total ou parcial de estabelecimentos, serviços, empresas ou meios de produção e impostas alterações ao respetivo regime ou horário de funcionamento”.

Se a renovação deste quadro legal agora proposta pelo Presidente da República for aprovada pelo parlamento, o estado de emergência vigorará de 24 de novembro até 8 de dezembro.

Fica parcialmente suspenso o exercício dos direitos à liberdade e de deslocação, permitindo-se, “na medida do estritamente necessário e de forma proporcional, o confinamento compulsivo em estabelecimento de saúde, no domicílio ou, não sendo aí possível, noutro local definido pelas autoridades competentes, de pessoas portadoras da Covid-19, ou em vigilância ativa”.

O Estado de Emergência é proposto pelo Presidente da República, para ser aprovado pela Assembleia da República.

PUB
PUB

Mais Populares

“Os cidadãos não precisam de qualquer declaração para saírem do concelho”

Na sequência das medidas especiais decretadas para Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, há várias questões que os cidadãos têm colocado.

Fábrica de calçado em Torrados encerra e deixa mais de 100 trabalhadores no desemprego

Uma fábrica de calçado, na freguesia de Torrados, encerrou na manhã de terça-feira. A que o SF apurou...

Subscreva a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Últimas

Hélder Pedro abandona FC Felgueiras

O médio Hélder Pedro deixou de fazer parte do plantel do FC Felgueiras. O jogador felgueirense chegou a acordo com a administração...

Orçamento para o ano de 2021 aprovado com votos contra do PSD

O orçamento para o ano de 2021 foi aprovado, esta quarta-feira, em reunião de Câmara, com os votos contra do PSD.