Terça-feira, Dezembro 6, 2022

Pub

Quinta de Maderne
InícioDesportoInauguração da 22ª Exposição de Aves Cidade da Lixa

Inauguração da 22ª Exposição de Aves Cidade da Lixa

O Clube Ornitológico da Lixa vai realizar a 22ª Exposição de aves Cidade da Lixa, nos dias 25, 26 e 27 de novembro, na sede do clube – na Rua da Boavista – Vila Cova da Lixa.

O evento começa no dia 25, pelas 14h30 e prolonga-se até às 20h00. No sábado e no domingo dias 26 e 27 de novembro, a exposição está disponível das 10h00 às 12h30, retomando às 14h00. A exceção será que no domingo termina mais cedo: 18h00 e no sábado será até às 20h00.

Recorde-se que estas exposições acolhem um número elevado de aves de vários expositores.

O Clube Ornitológico da Lixa foi fundado em 1999. José António Costa é o seu presidente já lá vão 16 anos.

________________________________________________________________________

O SF publicou uma entrevista com o presidente do Clube Ornitológico da Lixa em dezembro passado e que, partilha agora no site para que todos possam saber mais sobre este clube e o seu presidente.

O Clube Ornitológico da Lixa existe desde 1999. Trata-se de um clube que reúne amantes da ornitologia. Os associados são não só do concelho de Felgueiras, mas de outras da região. A criação de aves é uma paixão e um desporto, mas também pode ser uma terapia. José António Costa, presidente do COL há 16 anos, em entrevista ao SF, fala sobre esta “técnica” de criar pássaros e de os mostrar como “obras de arte”.

José António Costa, presidente do COL

GoSTAVA DE ORGANIZAR UM CAMPEONATO NACIONAL EM FELGUEIRAS

José António Costa

Antes de mais, explique-nos o que é a Ornitologia?

A ornitologia é o ramo da biologia que se dedica ao estudo das aves. Este trabalho está relacionado com as classificações das espécies, géneros e famílias. Cada criador tenta criar e aperfeiçoar as aves que cria, para assim poder obter bons resultados nas exposições.

Como e porquê foi criado o Clube Ornitológico da Lixa?

O clube foi criado no fim da década de 90. Na nossa região, existiam na altura, vários criadores  de canários, aves exóticas, psitacídeos etc.  Pensaram então criar um clube ornitológico. Essa ideia foi fermentando e no inicio de 1999 o senhor António Mota juntamente com o Doutor Carlos Lúcio reuniram nos Bombeiros Voluntários da Lixa. Após mais duas reuniões e com aproximadamente três dezenas de criadores, estavam reunidas as condições para fundar o clube. No dia 28 de Julho de 1999 foi lavrada a escritura no Cartório Notarial de Fafe. Nesse mesmo ano o clube foi filiado na Federação Ornitológica Nacional Portuguesa.

Que objetivos tem e que apoios prestam aos associados?

Sobretudo criar o gosto nos jovens pelas aves e a divulgação da ornitologia. São vários os apoios que damos aos nossos associados: desde a inscrição na federação onde é atribuído o número de criador nacional, aconselhar e tirar duvidas sobre as espécies que criam, fazer a inscrição em campeonatos que participam etc.

Quantos associados têm?

Neste momento temos 150 sócios.

De onde são?

A maioria dos nossos associados são de fora do nosso concelho desde Fafe, Cabeceiras de Basto, Celorico de Basto, Mondim de Basto, Chaves, Alijó, Vila Real, Amarante, Baião, Santa Marinha do Zêzere, Marco de Canaveses, Lousada, Valongo etc.

Qual é o perfil dos vossos sócios. São jovens, menos jovens, quem são, no fundo, os criadores e os amantes da Ornitologia?

Há uns anos atrás os nossos associados não eram muito jovens. Atualmente a maioria dos nossos associados são bastante jovens. No que diz respeito ao nosso clube, não tenho dúvidas em afirmar que os verdadeiros amantes da ornitologia são os jovens.

Os jovens interessam-se pela Ornitologia. O que lhe diz a sua experiência?

Como refiro na resposta anterior, sim. A minha experiência é que há cada vez mais jovens a interessar-se pela ornitologia .

Com que apoios conta o COL?

O nosso clube, ao longo destes anos, contou sempre com o apoio da C.M. de Felgueiras, União de Freguesias de Vila Cova da Lixa e Borba de Godim. Na alimentação das aves há muitos anos que temos o apoio do Sr. Joaquim Machado e da Dona Antónia da casa de artigos de columbofilia e de pesca de Lousada. Este ano também tivemos o apoio do Sr. Sérgio Moura da empresa Agrimoura.

“Os nossos associados são bastante jovens. Não tenho dúvidas que os amantes da Ornitologia são os jovens”

A vossa sede, na antiga escola primária da Boavista, é suficiente para as vossas atividades?
Exceptuando para a exposição anual do clube, sim temos todas as condições para desenvolver as nossas atividades. Na altura da exposição, a nossa sede não tem capacidade para receber todas as aves e a União de Freguesias de Vila Cova da Lixa e Borba de Godim, cede-nos a sua sala no primeiro andar do edifício. Aquando da assinatura do comodato em 2012, investimos mais de mil euros em melhoramentos da mesma para termos melhores condições e para podermos guardar todo o espólio do clube. Temos um contentor que mandamos fazer de raiz, nas imediações da sede, onde investimos cerca de três mil euros.

O COL tem vários campeões nacionais e internacionais. Isso é motivo de orgulho para quem está à frente do clube? Que significado tem?

É evidente que é um grande orgulho para quem está à frente de uma instituição. A grandeza de um clube também passa pelas conquistas dos seus associados, quer a nível nacional como internacional.

Além da exposição anual, que outras atividades desenvolvem?

Participamos noutras exposições regionais, no Campeonato Nacional e Campeonato Mundial.   Na última sexta- feira de cada mês, estamos na sede do clube onde temos reunião da Direção e atendimento aos sócios. Durante cada época desportiva temos 6 pedidos de anilhas onde recebemos os pedidos dos sócios e os encaminhamos para a federação, temos a Assembleia Geral do Clube e da Federação e temos o Jantar convívio de entrega de prémios da nossa exposição.

Como presidente do COL, que atividade, projeto ou evento gostaria de realizar?

Quando estamos numa associação há sempre projetos que queremos concretizar. Para mim os mais importantes, já os consegui realizar. Ter uma sede e um espaço para guardar todo o espólio do clube. Com a colaboração da autarquia e também com o nosso investimento, esse sonho tornou-se realidade. Hoje temos um espólio que nos permite realizar as nossas exposições sem contratempos. Gostava de organizar um Campeonato Nacional de Ornitologia no nosso Concelho, mas neste momento, não temos instalações para um evento desta envergadura.

Há quanto tempo preside ao clube?

Estou na presidência do clube há dezasseis anos mas gostava que aparecesse alguém jovem com vontade de dar continuidade ao nosso trabalho.

A ornitologia é um desporto ou uma paixão?

A vertente mais forte é paixão, tem que se gostar.  No entanto, também existe a parte desportiva. Quando participamos em exposições ficamos satisfeitos quando conseguimos bons resultados.

Há quem diga que criar pássaros é uma arte. Quer comentar?

Sem dúvida que é!  Numa exposição são as aves que concorrem e que ganham ou não. É evidente que o mérito é do criador. Há aves que só chegam a vencedoras depois de passarem por várias gerações. A arte também passa por fazer o acasalamento certo, ter boas condições higiénicas no canaril bem como proporcionar uma alimentação adequada.

Também há quem diga que é uma terapia. Comente.

Concordo! Passamos horas a tratar deles e muitas vezes estamos sentados a ouvir as suas melodias, a verificar a sua beleza e a fazer a escolha para as exposições. É sem duvida um descanso.

Que tipo de conhecimentos tem de ter o Ornitólogo?

Cada classe de aves tem o seu próprio standard e quando vão às exposições são avaliadas pelos juízes dentro dessas características. Logo, o criador tem que estar minimamente informado sobre a raça que cria, como deve fazer os acasalamentos e o tipo de alimentação mais adequada para tentar criar a ave perfeita.

A grandeza do clube passa pelas conquistas dos associados

José António Costa

É um “desporto” caro?

Tudo depende de criador para criador e do plantel de cada um. Há criadores que investem muito dinheiro na compra de bons exemplares a criadores campeões mundiais portanto, para alguns criadores, não será um desporto barato. No entanto, conseguindo bons resultados podem ter retorno no seu investimento.

A exposição de aves, tem como objetivo mostrar o trabalho dos criadores, mas também há prémios. Como é que se avalia as melhores aves e quem é que o faz?

É, sem dúvida, nas exposições que ficamos a saber a qualidade das aves que criamos. Há prémios para as melhores aves de cada classe. As aves são avaliadas pelo seu standard. Os juízes são nomeados pelo Colégio Nacional de Juízes. As aves da mesma classe são colocadas em frente aos juízes que vão fazendo a sua avaliação até chegarem ao primeiro, segundo e terceiro. Isto acontece caso as aves tenham qualidade para essa classificação, porque há classes em que pode haver apenas um primeiro ou até nenhum vencedor.

Na edição de 2021 da exposição, qual é o número de aves e criadores presentes?

Na 21.ª exposição tivemos 600 aves a concurso, de trinta e cinco expositores. Na história do clube nunca tivemos menos de 800 aves a concurso mas vivemos em tempos de pandemia, o que justifica uma menor participação.

Em que nível se situa a exposição organizada pela COL: pode considerar-se de grande dimensão a nível nacional ou ainda não chegou a esse patamar?

Não tenho dúvidas em afirmar que estamos num patamar de grande dimensão a nível nacional. Por exemplo, em 2014 no campeonato nacional em Torres Vedras participaram 64 clubes, tendo o nosso clube obtido a 17.ª posição. Neste momento há vários clubes que se juntaram para organizar as suas exposições para ter uma maior dimensão e nós continuamos a ter a nossa num bom nível.

criar pássaros também é uma arte

José António Costa

Há competição entre os criadores?

Há criadores que levam muito a sério a sua participação. No entanto, a maioria participa na desportiva apesar de haver uma classificação geral e todos quererem obter os melhores resultados.

Que tipo de cuidados e quantas horas por dia é necessário dedicar às aves?

Os cuidados começam logo no canaril. A higiene é muito importante e ter uma alimentação adequada também. O tempo depende da disponibilidade do criador e também da quantidade de aves do seu plantel.

Agora numa vertente mais pessoal, há quantos anos se dedica à Ornitologia?

Estou ligado à ornitologia há mais de trinta e cinco anos.

Para si, o que significa esta atividade?

A ornitologia sempre foi e será uma das minhas paixões.

Quer deixar uma mensagem final aos leitores?

Se tiverem curiosidade pelo mundo da ornitologia, podem contactar-nos. Estamos de portas abertas para vos receber. Em nome do Clube Ornitológico da Lixa agradeço ao Semanário de Felgueiras a oportunidade que nos deu para divulgar a história do nosso clube.

Grande entrevista no SF 1393 de 3 de dezembro de 2021

Pub

Teco

Mais Populares

Subscreva a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Pub

Paulo Alves Terapias

Últimas