PUB
Inicio Felgueiras ao minuto "Sabemos o que custa sacrificar a liberdade". Conheça as novas medidas de...

“Sabemos o que custa sacrificar a liberdade”. Conheça as novas medidas de confinamento

Mantém-se abertos os estabelecimentos de bens essenciais. Os que encerraram em março voltam a encerrar: cabeleiros, cafés, bares, restaurantes, ginásios, espaços culturais e comércio de bens não essenciais, a partir das 00h00 do dia 15 de janeiro.

Possibilidade de fazer compras e trabalhar mas a regra é “ficar em casa”.

Dentistas e Tribunais mantém-se abertos.

Exercício ao ar livre é permitido.

Exceção de recolher obrigatório no dia 24 de janeiro para votar nas Presidenciais.

Mantêm-se em pleno o funcionamento de todos os estabelecimentos educativos.

Teletrabalho sempre que é possível: “Tal como aconteceu em março e abril é imposto sem acordo com a entidade patronal sempre que é possível. Considerámos como muito grave a coima à violação do teletrabalho”.

As coimas relativas à violação das medidas impostas serão duplicadas, sobretudo no uso de máscara na via pública.

António Costa avançou que em maio recuava se tivesse que ser “sem vergonha”. Segundo o Primeiro Ministro “as circunstâncias impõe”, reforçando a ideia que as Escolas são locais seguros.

Empresas que encerrem terão acesso ao Lay-off simplificado.

Os Campeonatos Profissionais de Futebol (1ª e 2º ligas) prosseguem normalmente.

“Há ene de estabelecimentos que se mantêm abertos tais como os de alimentação de animais e ainda os Veterinários. Não há razão para correrem para os supermercados“.

“Sabemos o que custa sacrificar a liberdade, mas a vida não tem preço, por isso o Conselho de Ministros decidiu que a partir do dia 15 a obrigatoriedade do teletrabalho e de recolher obrigatório. Não olhemos para as exceções”

Segundo António Costa as medidas são reavaliadas a cada 15 dias mas “seria iludir os portugueses” pensar que não será necessário implementar um mês.

PUB
PUB

Mais Populares

“Os cidadãos não precisam de qualquer declaração para saírem do concelho”

Na sequência das medidas especiais decretadas para Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, há várias questões que os cidadãos têm colocado.

Fábrica de calçado em Torrados encerra e deixa mais de 100 trabalhadores no desemprego

Uma fábrica de calçado, na freguesia de Torrados, encerrou na manhã de terça-feira. A que o SF apurou...

Subscreva a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Últimas

Os portugueses estão a morrer

No fim do ano de 2020 decidi não escrever, pensando que faria um editorial de início de um novo ano de...

A Nova Ordem Eleitoral?

Após uma análise à presente campanha eleitoral para as Presidenciais de 2021 podemos concluir que estamos a assistir a uma “Trumpização”...