Inicio Destaques 9.º Ano e agora? SLOGAN dos cursos Profissionais: “A Escola que toca...

9.º Ano e agora? SLOGAN dos cursos Profissionais: “A Escola que toca a tua música! Que move…a tua vida!”

Publireportagem

Depois da Música, a Dança!

Depois da Música, a Dança!

O Conservatório de Música e Dança de Amarante Maria Amélia Laranjeira tem vindo, ao longo dos tempos, a aumentar a oferta formativa no Ensino Profissional. Além dos cursos de Instrumentista de sopro e de percussão e de Instrumentista de cordas e de tecla, foi recentemente lançado o curso de Intérprete de Dança Contemporânea. No final dos cursos, os alunos terão um diploma de dupla certificação (12º Ano e Nível IV), que lhes irá permitir entrar no mercado de trabalho. As inscrições já estão a decorre


“Estas três ofertas no ensino profissional do secundário (10º, 11º e 12º Anos) fazem parte da estratégia de crescimento que o Centro Cultural de Amarante – Conservatório de Música e Dança Maria Amélia Laranjeira tem vindo a concretizar nos últimos anos”, refere o Presidente do Centro Cultural de Amarante, Francisco Laranjeira. Com esta possibilidade, os alunos de Amarante e dos concelhos vizinhos têm agora acesso a novas opções no momento de prosseguirem os estudos.

“Estas três ofertas no ensino profissional do secundário (10º, 11º e 12º Anos) fazem parte da estratégia de crescimento que o Centro Cultural de Amarante”

Não é necessário ter conhecimento de Música e ou de Dança para ingressar. Os cursos funcionam de segunda a sexta, em regime diurno. A pensar nos alunos que sentem uma vocação especial pela Música e pela Dança e que procuram um ensino onde podem desenvolver as aptidões e talentos artísticos, estes cursos preparam os estudantes para o acesso à Universidade.


A criação desta oferta formativa surge por iniciativa do Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira, associação de caráter cultural, desportiva, social, recreativa, educativa e de ensino, sem fins lucrativos, de Utilidade Pública e Centro UNESCO, fundada a 3 de dezembro de 1981.


Estes cursos dão aos alunos a possibilidade de prosseguirem os Estudos Superiores em qualquer área, desde que as provas de acesso sejam Matemática, Português, Inglês e/ou História da Cultura e das Artes.


Escola Profissional de Música e Dança de Amarante Maria Amélia Laranjeira – A Escola que toca a tua música! Que move…a tua vida!

Por si, por todos, com toda a segurança, à distância de um clique.
Recorde-se que, em virtude da pandemia que vivemos atualmente e no sentido de cumprir com as regras de distanciamento social aconselhadas pela Direção Geral de Saúde, o CCA – Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira – lançou, em abril, uma plataforma (http://inscricoes.cc-amarante.pt) que permite efetuar as inscrições online para o próximo ano letivo.


Ensino Profissional

É possível inscrever-se em mais do que um Curso ou Instrumento. As inscrições estão limitadas para o 10º Ano de Escolaridade.


O Centro Cultural de Amarante – Maria Amélia Laranjeira – Escola de Música e de Dança, é um estabelecimento de ensino particular e cooperativo do ensino artístico especializado da música e dança. Foi-lhe concedida autorização definitiva de funcionamento DREN / nº 231, por Despacho do Diretor Regional Adjunto de 8 de junho de 2009.

Tem autonomia pedagógica. Funciona, em conformidade com a legislação em vigor, os Cursos Básicos, Portaria 225/2012 de 30 de Julho e Declaração de Retificação nº 55/2012 de 28 de Setembro e nos Cursos Secundários ao abrigo da Portaria n.º 243-B/2012, de 13/08, com a Declaração de Retificação n.º 58/2012, de 12/10, alterada pela Portaria n.º 419-B/2012, de 20/12, pela Portaria n.º59-B/2014, de 7 de março e pela Portaria n.º 165-A/2015, de 3 de junho estruturam-se em três componentes de formação – geral, científica e técnica-artística.

LINKS para: https://www.cc-amarante.pt e http://inscricoes.cc-amarante.pt

Estes cursos dão aos alunos a possibilidade de prosseguirem os Estudos Superiores em qualquer área, desde que as provas de acesso sejam Matemática, Português, Inglês e/ou História da Cultura e das Artes.

História do Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira

Fundado a 3 de dezembro de 1981 por Maria Amélia Laranjeira, o Centro Cultural de Amarante (CCA) surge do gosto e interesse pessoal da fundadora pelas artes e pela promoção cultural. Maria Amélia Laranjeira exerceu, até 1996, o cargo de diretora da instituição dando vida e corpo a inúmeros projetos culturais e educacionais em diversas áreas. “Desde a sua fundação que o Centro Cultural de Amarante pretendeu ser um elo entre os seus associados e a população em geral, criando assim condições para a execução de programas e projetos que reafirmem os objetivos da sua fundação”, afirma Francisco Laranjeira, atual presidente do CCA.

Atualmente apresenta-se como um espaço de referência no Ensino Artístico Especializado de Música e Dança. A inauguração das atuais instalações foi a 9 de agosto de 2008. Um novo e moderno equipamento escolar e cultural, que outrora foi a Antiga Cadeia Comarcã de Amarante, um edifício histórico dos finais dos anos quarenta, localizado na zona norte da cidade.

Formar para a empatia, fomentar para a participação, capacitar para a valorização – assim se apresenta a missão do CCA. “O Conservatório de Música e Dança Maria Amélia Laranjeira, representa a missão educativa desta Instituição, trabalha e trabalhará para ser reconhecido como organização de referência nas relações com a comunidade onde se insere, no combate ao insucesso e ao abandono escolar e na promoção de uma cultura de esforço e exigência, de valores e de princípios de justiça, igualdade, respeito pela diferença e solidariedade”, prossegue o presidente da associação. Confiamos no papel fundamental que devemos exercer na formação de cidadãos com espírito crítico, reflexivo e democrático, pelo que temos como princípio o exemplo da nossa equipa como estruturante na missão. O Conservatório de Música e Dança do Centro Cultural de Amarante, enquanto ator de promoção educativa, formativa e sociocultural, é um reflexo da sua localização, da sua mais-valia territorial e do diálogo com a sociedade local.

Desde a sua fundação o Centro Cultural pretendeu criar condições físicas e estruturais para a execução de programas e projetos que reafirmassem os objetivos base da sua fundação.

“Nunca é de demais lembrar que o Centro Cultural de Amarante Maria Amélia Laranjeira é uma associação sem fins lucrativos e de utilidade pública, por despacho do Primeiro-Ministro, de 12 de julho de 1990”, frisa, orgulhoso. Desde a sua fundação o Centro Cultural pretendeu criar condições físicas e estruturais para a execução de programas e projetos que reafirmassem os objetivos base da sua fundação.

Tem por base três setores de atividade:

Educação – em que o Conservatório de Música e Dança se apresenta já como um espaço escolar de referência do Ensino Artístico Especializado, em regime oficial, com autonomia pedagógica e cursos livres;

Social – com diversos projetos que, através da música e da dança, dão resposta a determinados problemas e questões sociais; nomeadamente “Orquestra Energia” e “Dança Nova Geração”.

Cultural – com atividades de onde se destacam o Festival Internacional de Guitarra de Amarante e o Festival Internacional de Percussão de Amarante.

Importa referir que a Orquestra Energia e a Dança Nova Geração são projetos que promovem a inclusão social através da música e da dança, permitindo a reintegração em ambiente escolar de crianças e jovens que se encontram em maior vulnerabilidade educativa e social, funcionando como estratégia de apoio à sua integração.

A Orquestra Energia e a Dança Nova Geração são convidadas para Galas, cerimónias, eventos, espetáculos e concertos, sendo muitos solidários, dentro e fora de Amarante. Participa, anualmente, num intercâmbio com uma Escola de Peyehorade, uma cidade francesa. A Orquestra Energia realiza periodicamente intercâmbios e estágios com as Orquestras Energia de Mirandela e Murça.

“Procuram dotar as crianças de ferramentas que as auxiliem a expressar-se através da música e da dança, conseguindo desenvolver autoconfiança e conhecimentos necessários que lhes permita ter um crescimento mais equilibrado proporcionando-lhes melhores perspetivas para o futuro”

De salientar os concertos realizados pela Orquestra em Paris e no Brasil e outros realizados em grandes palcos nacionais: Casa da Música, Fundação EDP, Fundação Calouste Gulbenkian, Aula Magna e MAAT. Os projetos centram todos os seus objetivos no contexto social e educacional do seu público-alvo, crianças e jovens que vivem em risco de exclusão social, com problemas de insucesso e abandono escolar e que são provenientes de meios socioeconómicos mais desfavorecidos.

“Procuram dotar as crianças de ferramentas que as auxiliem a expressar-se através da música e da dança, conseguindo desenvolver autoconfiança e conhecimentos necessários que lhes permita ter um crescimento mais equilibrado proporcionando-lhes melhores perspetivas para o futuro” – e isso é o que nos move.

Destaque ainda para o projeto de ensino artístico no pré-escolar educArte. Direcionado para a primeira infância, leva a aula de música e dança diretamente ao infantário, tornando a aula num espaço de criatividade.

A área da cultura é transversal às outras áreas de ação do CCA, uma vez que contribui para a realização da sua missão e dos seus objetivos. Espetáculos de música, dança, teatro, congressos, palestras, colóquios, seminários, concertos, masterclasses, lançamentos de livros, audições, visitas de estudo, exposições de pintura e escultura, exibição de filmes, recitais, celebração de dias internacionais, bailados, seminários, estágios e intercâmbios com outros Conservatórios, workshops, aulas abertas, debates, feiras e festivais são atividades culturais desenvolvidas como meio de diálogo, de circulação de ideias, de promoção da capacitação e de acesso à informação, de e para os alunos do Conservatório e para toda a comunidade.

Em jeito de conclusão, Francisco Laranjeira aponta ainda dois grandes projetos: o Festival/ Internacional de Guitarra que vai já na terceira edição e que traz a Amarante o melhor do mundo da guitarra e o Centro Unesco de Amarante. O CCA é Centro Unesco de Amarante desde 9 de agosto de 2017. Os Centros ou Clubes UNESCO são grupos de pessoas (associações sem fins lucrativos, ONG, escolas, universidades, fundações, círculos culturais, sociais e administrativos da comunidade), de todas as idades, todos os horizontes, de todas as condições, que acreditam nos ideais da UNESCO e desejam apoiar a Organização na sua missão.

Estas estruturas têm como objetivo promover a UNESCO e os seus Programas, propagar os seus ideais através de atividades inspiradas nas atividades da Organização, contribuir para a formação cívica e democrática dos seus membros, apoiar os Direitos Humanos, favorecer a compreensão internacional e o diálogo entre os povos, difundir informação relativa à UNESCO junto do público, a nível local. Em suma, constituem-se como um prolongamento da ação das Comissões Nacionais.

As suas funções podem resumir-se em três palavras: Formação dos seus membros, das comunidades locais e do público em geral, através das atividades desenvolvidas; Informação sobre as atividades, efemérides e projetos da UNESCO e demais organizações das Nações Unidas e Ação como resultado lógico da formação e informação, sob a formar de debates, conferências, seminários, jornadas, comemorações, organização de diversas atividades culturais, viagens, entre outras realizações.

A cerimónia de assinatura do protocolo de cooperação, entre a Comissão Nacional da UNESCO e o Centro Cultural de Amarante, contou com a presença de Anna-Paula Ormeche, da Comissão Nacional da UNESCO – Ministério dos Negócios Estrangeiros e do Presidente da Câmara Municipal de Amarante, José Luís Gaspar.

Por fim, importa referir que o Centro Cultural de Amarante adquiriu um edifício no centro histórico de Amarante para aí instalar um serviço cultural de referência, nomeadamente, um auditório, uma Biblioteca de características públicas e uma residência artística.

PUB
PUB

Mais Populares

Imagens captadas pela leitora do Semanário de Felgueiras: Manuela Freitas

Conheça os melhores locais do concelho de Felgueiras, pela lente dos nossos leitores. Mosteiro de Pombeiro

António Moura Guedes sócio-gerente da Triple Marfel

"O meu pai foi a alma da Triple Marfel" António Moura Guedes, tem 63 anos, é administrador...

Subscreva a nossa newsletter

Para ser atualizado com as últimas notícias, ofertas e anúncios especiais.

Últimas

Regilde ofereceu cabazes de Natalidade

A Junta de Freguesia de Regilde ofereceu quatro cabazes de Natalidade relativos aos bebés nascidos em 2019. "Para além...

Aião já tem parque infantil

"Deus quer, o Homem sonha e a obra nasce", pode ler-se na página da Junta de Freguesia de Aião, devido à mais...